Contactar com B.E.A.R.

ESPAÑA: (+34) 911 669 092
PORTUGAL: (+351) 914172060
COLOMBIA: (+57) 310 543 3266
USA: (+1) 740 272 7649
BRASIL: (+55) (85) 3232 9022
ECUADOR: (+593) 2 3332735
info@bearforensics.com

PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

A historia do polígrafo

Como começou a ser aplicado o teste do polígrafo | Desenvolvimento do polígrafo e do teste do polígrafo 

 
 
A história do polígrafo não se pode explicar sem um pequeno prelúdio sobre a detecção do engano.

A detecção do engano começou tão cedo como quando existiu a necessidade de ter uma sociedade justa. Muitos textos foram encontrados sobre diversas formas arcaicas de detectar se alguém estava a dizer a verdade ou a mentir.

Por exemplo, na África Ocidental, as pessoas suspeitas de um crime passavam um ovo umas às outras. Quem quebrasse o ovo, era considerada culpada.

Na China antiga, durante o discurso de um oficial, o suspeito tinha um pouco de arroz na boca. Devido à escassa produção de saliva causada pela ansiedade emocional considerava-se culpado o indivíduo que no final do discurso tivesse o arroz seco.

A Ciência Forense é um método científico da recolha de provas e o polígrafo é uma parte integral da Ciência Forense. Os crimes são resolvidos frequentemente com o uso dos exames que recolhem impressões digitais, impressões da palma da mão e pegadas, amostras de cópias da mordida de dentes, de sangue, de cabelo e de fibras.

Amostras de dactilografia são estudadas, inclusive toda a tinta, papel, e tipografia.

As técnicas de balística são usadas para identificar armas assim como as técnicas de identificação da voz são usadas identificar criminosos.

O Dr. italiano, Fortunatus Fidelis é reconhecido como sendo a primeira pessoa a praticar a medicina forense moderna, começando em 1598. A medicina forense é a “aplicação do conhecimento médico a perguntas legais.” Transformou-se um ramo da medicina reconhecida no século XIX.

O primeiro instrumento moderno do polígrafo foi inventado por John Larson em 1921 e melhorado mais tarde por Leonard Keeler entre 1930 e 1940. Um oficial da Polícia de Chicago chamou o instrumento novo “o Polígrafo compacto de Keeler”. Os avanços no campo têm sido importantes, no obstante o conceito “do Polígrafo compacto de Keeler” remanesce. A maioria dos polígrafos hoje em dia é em formato digital.
 

SEGUIR NO

 

Skype Me™!

 

Valid XHTML and CSS.